A ALIANÇA funda-se nos princípios e valores do personalismo com o respeito pela vida, pela pessoa e pela sua dignidade, assumindo-a como o centro de todas as decisões.

A ALIANÇA é dinamizadora dos valores da solidariedade na relação das pessoas com a comunidade e no modo como esta assume as suas responsabilidades e os seus deveres para com os indivíduos, promovendo o valor da justiça social, sobretudo através da igualdade de oportunidades.

Defendemos o Liberalismo como fonte da criatividade do indivíduo, garante da liberdade económica e estímulo da iniciativa privada. Em conjunto, os pilares da motivação humana e do desenvolvimento devem assegurar uma sociedade assente na justiça e no bem-estar social. Um liberalismo responsável e assente na satisfação das necessidades dos indivíduos.

A ALIANÇA defende que o mérito deve constituir a base de toda a evolução dos cidadãos na vida profissional, sendo incutido, desde cedo, nas escolas e praticado amplamente no funcionamento das Instituições Públicas.

A ALIANÇA defende que todas as políticas públicas devem ser projetadas pensando nos Portugueses de hoje e nas gerações vindouras. A evolução demográfica obriga a uma nova perspetiva nas atividades sociais económicas e na conceção estratégica das políticas, orientadas sempre para a promoção da solidariedade intergeracional.

A ALIANÇA acredita na Família como base estruturante da organização social, da educação das crianças e jovens, do apoio aos portadores de deficiência e como parceira ativa, na resposta social do futuro, que deverá adaptar-se à alteração etária da sociedade em resultado do aumento da esperança média de vida dos cidadãos.

Respeitamos a liberdade religiosa e a dimensão espiritual na vida da pessoa, como fonte de inspiração moral e de conduta ética orientada para o próximo e para o bem comum.

A ALIANÇA afirma a relevância das Comunidades Portuguesas estabelecidas pelo mundo e quer agregar todos os Portugueses, seja qual for a geografia da sua residência, para que afirmem com orgulho a voz, a alma e a cultura Portuguesa no Mundo, sentindo que os laços da nossa identidade não podem ser quebrados. Portugueses sempre.

Assumimos a autonomia das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira e a importância do Poder Local na organização administrativa e política do País porque acreditamos que as especificidades dos territórios são valores e riquezas da Nação e que a eficácia das políticas públicas e da coesão territorial dependem muito da proximidade aos cidadãos.

A ALIANÇA defende a presença obrigatória do Estado nas funções de soberania, a intervenção firme nas funções regulatórias e a intervenção colaborativa, organizadora e subsidiária em todas as áreas em que o setor privado e privado sem fins lucrativos prestam serviços à comunidade.

A ALIANÇA é defensora intransigente da Paz e dos direitos fundamentais e respeita as linhas fundamentais da política externa Portuguesa, nomeadamente o projeto da União Europeia, da CPLP e os laços com a NATO.

Somos Europeístas, mas declinamos dogmas e imutabilidades na construção europeia. Acreditamos no projeto Europeu que respeite o princípio da coesão económica e social e isso requer Reformas em que Portugal tem de participar de forma ativa assumindo, quando se justificar, a liderança do processo negocial de transformação da União.