Início Aliança CONTRA TUDO E CONTRA ALGUNS CÁ ESTAMOS

CONTRA TUDO E CONTRA ALGUNS CÁ ESTAMOS

153
0

Faz hoje um ano que estávamos em Évora a ver nascer o PARTIDO ALIANÇA

Começou tudo com muita esperança na construção de um partido diferente, e composição de um país melhor e respeito pela iniciativa do nosso Presidente Pedro Santana Lopes, e assim continuamos, mas agora com maior vinco na responsabilidade.

Desde carregar e descarregar caixas e caixotes, com bandeiras, flyers, canecas, canetas etc., a caminho de Évora com alegria e esperança estampada no rosto a caminho do Primeiro Congresso do nosso Partido, a esperança espelhava os rostos de quem participou fulgurosamente no nascimento daquele que era e é o nosso partido.

Durante este ano, deu para perceber e aprender muitas coisas.

Que os que não estavam por interesse nacional, saíram. E que os que ainda estão, mas sem estar de coração, o tempo a seu tempo fá-los-á sair.

Que outros houve de grande importância e lealdade tambem saíram, mas esses, porque a intensidade e trabalho é imensa, e o tempo não dá para tudo. Como eu os compreendo.

Como diz o nosso Presidente “não precisamos de quem esteja por favor”.

Precisamos em quem acredite, apesar dos erros e opções diferentes de cada um.

Precisamos de quem acredite que apesar de erros e opiniões diferentes, remamos todos no mesmo sentido, que é assim que tem de ser.

Que só assim nos acrescentamos e crescemos pessoalmente, enquanto equipa e enquanto, um Partido que tem a responsabilidade de querer governar um país.

Muitos foram os que desacreditaram, outros que pregavam que não durava nem 6 meses.

Mas cá estamos contra ventos e tempestades, com desilusões e lutas passados 12 meses, desde o primeiro congresso.

Lutas que considero sempre ganhas, apesar de algumas derrotas numéricas, o empenho e esperança mantemos.

Porque as derrotas, só “são derrotas quando nos perdemos com elas”, e não foi o caso, continuamos a ganhar cada vez mais força e empenho para levar por diante este barco, que é fazer política diferente.

Porque o nosso Partido não é só mais um partido, que diz o que a população quer ouvir, que usa palavras-chave que chamam atenção da comunicação social para aparecer, não somos radicais nem nas opões nem nas decisões. Somos Liberais.

Acima de tudo, respeitamos a liberdade de todos.

Somos um partido que trabalha a proximidade que pretende ser uma oposição sadia e que acrescente quem está a governar.

Trabalhando contudo, sempre com objetivo, de ter a possibilidade de implementar as nossas ideias e princípios, governando o País respeitando sempre o “sangue da nossa bandeira”.

O foco é construir, é fazer crescer um país ausente de desigualdades sociais, ausente de injustiças e premente em igualdade de oportunidades.

Não é fácil, ser militante de corpo e alma, e menos fácil é, “comandar um barco”, não é fácil permanecer um líder de coração cheio e que se emociona quando fala do seu projeto que agora e de todos.

Nunca irei esquecer as palavras que o Presidente em conversa, me disse na primeira reunião que tivemos e que reiterou no Primeiro Congresso: “Tinha duas hipóteses, ou mudava de ideias, ou mudava de partido”, PSL.

Mudou de partido, mantendo-se fiel às suas ideias, e que bem que fez, que excelente opção tomou, para bem de todos nós, renovou-nos a esperança que é possível lutar e mudar o rumo deste país em desnorteio.

O “barco” é pesado, não é fácil, entre ocupações pessoais, familiares, profissionais, ainda dedicar tempo à política, dou tanto valor e tenho imenso orgulho a quem o faz.

Passou um ano mas sinto que já passaram dez anos, dado tanto trabalho que já se fez e todas as ações que já dinamizamos, e todas as eleições a que participamos sempre com esperança e trabalho feito.

Que orgulho fazer parte deste PARTIDO desde o seu início e vê-lo crescer de forma saudável.

Continuamos a ser um partido pequeno, mas enormes de “gentes” e espírito.

Não sei se quero pertencer a um grande partido, porque sinto que quanto maior for o partido, mais pessoas lá cabem, se por um lado é bom sermos muitos, por outro “é mau sermos muitos, mas muitos, menos bons”.

O ideal será sermos um partido grande cheio de grandes pessoas e a pensar nas pessoas.

O meu discurso e intenções, espírito, esperança e convicções mantêm-se desde o dia 8 de fevereiro de 2019.

Estar com espírito de missão e honestidade intelectual e política.

Porém, sentir-me livre nas opiniões é essencial, cumprindo sempre e ser leal ao meu partido, mas que a lealdade não fira, não tolde e não iniba a minha opinião e posição acerca do que penso.

Somos um partido liberal interna e externamente, só assim faz sentido.

Temos de ser um exemplo a seguir para que as pessoas nos sigam e se revejam nas nossas palavras e ações.

E desenganem-se quem pensa o contrário, estamos cá e vamos continuar, a lutar sempre com o intuito de ajudar o outro e não a nós próprios!

Viva a ALIANÇA 💙

Sónia Carreira da Conceição

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here