Início Atualidade Em 2050, 300 milhões de pessoas correm o risco de ser afetadas...

Em 2050, 300 milhões de pessoas correm o risco de ser afetadas pelo aumento do nível do mar

69
0

Em Portugal, uma das zonas mais afetadas por um nível da água acima da média poderá ser a zona da Estuário do Tejo. Seis países asiáticos representam cerca de 75% dos 300 milhões de pessoas afetadas.

300 milhões. É este o número de pessoas que a partir de 2050 podem ser afetadas por inundações mais violentas em várias zonas costeiras do mundo, causadas pelo aumento do nível do mar. E há locais em Portugal que também estão em risco. A conclusão é de um estudo publicado esta terça-feira na Nature Communications, que estimou um número bastante superior de população afetada em relação ao que os modelos de previsão normais têm alcançado. A Ásia, de acordo com o relatório, será a zona mais afetada por estas inundações.PUBLICIDADE

“A elevação do nível do mar é um dos mais conhecidos de muitos perigos das alterações climáticas. Enquanto a humidade polui a atmosfera com gases efeito de estuda, o planeta aquece. E, ao fazê-lo, as camadas de gelo e os glaciares derretem e a água do mar cada vez mais quente expande-se, aumentando o volume dos oceanos”, explica a organização Climate Central, acrescentando que as consequências deste fenómeno “podem ir desde um aumento a curto prazo das inundações na costa, que podem danificar infraestruturas e culturas, até ao deslocamento permanente das comunidades costeiras”.

De acordo com o mapa do estudo, uma das zonas mais afetadas por um nível da água acima da média poderá ser a zona da Reserva Natural do Estuário do Tejo

Em Portugal, os dados deste estudo — cujo mapa está disponível online — indicam que uma das zonas mais afetadas por um nível da água acima da média poderá ser a zona da Reserva Natural do Estuário do Tejo e do Estuário do Sado.Também Viana do Castelo, Esposende, Vila do Conde, Esmoriz, Aveiro, Figueira da Foz, Nazaré, São Martinho do Porto, Peniche e Lagos são algumas das zonas assinaladas a vermelho, ou seja, com risco de sofrerem inundações severas daqui a 30 anos.

Já em Espanha, por exemplo, o El País indica que 200 mil pessoas que residem atualmente em áreas costeiras podem ser afetadas pelo aumento destas inundações. O estudo indica ainda que este novo modelo de medição produzido “mostra que muitas das zonas costeiras do mundo são muito mais baixas do que se costuma pensar e que o aumento do nível do mar pode afetar centenas de milhões de pessoas nas próximas décadas do que se pensava anteriormente”.

Os efeitos desta subida do nível do mar serão mais sentidos na Ásia, uma vez que é nesta região que se encontra um maior número de pessoas. Em países como a China, o Bangladesh, a Índia, o Vietname, a Indonésia e a Tailândia, a maior parte das pessoas poderá estar em zonas onde a terra ficará abaixo da média anual dos níveis de inundação costeira. Estes seis países representam cerca de 75% dos 300 milhões de pessoas que correm este risco. 

O relatório indica ainda que medidas como a construção de diques e outras estruturas de defesa ou a realocação para terrenos mais altos podem ajudar a diminuir estas ameaças. Mas, e à medida que o nível do mar continua a subir, “mais terra será perdida de forma permanente para o oceano”, afirmam os autores do estudo. Até 2100, por exemplo, os dados indicam também que as terras onde atualmente vivem 200 milhões de pessoas podem ficar permanentemente abaixo da linha da maré alta.

Fonte: Observador

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here